Chico do Rio

Chico do Rio

Um ativista, sorocabano e, por meio do rio da cidade onde nasceu, virou amante do meio ambiente. Esse é Francisco Moreira de Campos, 77 anos, conhecido como Chico do Rio. Esse apelido foi dado a ele por causa da sua luta constante para que o Rio Sorocaba seja um patrimônio preservado.

Chico do Rio, no final da década de 1950, foi tesoureiro da União dos Servidores Públicos de Sorocaba e que, hoje, é chamado de Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba. “Lembro até hoje dessa época. Sou o único vivo”, recorda.

União dos Servidores Públicos de Sorocaba

Chico conta que além de exercer a função de administrar o dinheiro, ele reivindicava os direitos dos servidores através de manifestos, cobranças e cartazes. “Até hoje uso um cartaz no pescoço. É minha forma de protestar, mostrar que sou um cidadão ativo nas questões políticas”, explica. Chico é conhecido na cidade por dedicar a vida à luta pela preservação dos recursos naturais, organizando abaixo-assinados ou manifestos com esta finalidade.

Em 1989, logo após a promulgação da Constituição, Chico do Rio batalhou pela inserção, na Lei Orgânica do Município, do dispositivo que destina 1% do orçamento para a despoluição do rio Sorocaba. Seis anos depois, em 1995, Chico iniciou uma campanha “para fazer valer a lei”. Coletou mais de 34 mil assinaturas.

Chico discute sobre a proposta da lei do orçamento para a despoluição do rio Sorocaba

Hoje Chico do Rio é aposentado. Mesmo com esse beneficio não fica afastado nos projetos dos parlamentares de Sorocaba. Todas as terças e quintas-feiras, Seu Chico vê as discussões dos vereadores. “Gosto de estar do começo ao fim da sessão. Quando sinto fome como por aqui mesmo. Não perco nenhum minuto”, esclarece.

O entrevistado fala sobre as manchentes dos jornais na época da ditadura

Antes e depois do Golpe Militar

Chico do Rio

Antes da Revolução de 1964 os Servidores Públicos de Sorocaba tiveram tempos ruins, com salários atrasados. Com esse problema resolveram criar a União dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba para através de uma organização buscar melhorias aos trabalhadores. Durante a ditadura militar todos os membros da União foram presos, inclusive Chico do Rio, que conta: “Fico inconformado de ser preso por tentar ajudar a classe trabalhadora”. Além de serem presas, as pessoas que trabalharam na União tiveram seus documentos e direitos caçados.

Membros da União presos

Chico fala sobre Aldo Vannucchi, ex-reitor da Uniso e um dos participantes do movimento contra a ditadura

A organização da categoria só voltou em 1980 e teve como nome Associação dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba. “Nessa época fiz de tudo para que a entidade virasse sindicato, acabou virando associação, mas já foi um grande passo”, argumenta Chico do Rio.

Chico do Rio foi o responsável pelas transições e histórias da categoria. Ele viu a entidade começar sendo União, depois Associação e hoje Sindicato.

Chico do Rio recorda alguns momentos da ditadura militar e da expansão do socialismo em Sorocaba

Importância da organização

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s