Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba

História

Presidente Sérgio Ponciano

Na década de 1980, surgiu a necessidade de criar uma associação que representasse o funcionalismo público de Sorocaba. Alguns setores da Prefeitura da cidade decidiram formar a Associação dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba (ASPMS).

O primeiro a presidir a Associação foi Antonio Silva, que tinha como secretários Wenceslau Correa Lacerda e Lázaro Antonio Nogueira. Os tesoureiros José Carlos Vieira de Camargo Filho e Sidney Martins. O conselheiro Associativo tinha como presidente Reinaldo D’Alessandro.

História da entidade

Nessa época toda a diretoria não recebia remuneração, mas mesmo assim, se dividia entre tarefas do trabalho e dedicação a categoria, que atravessou três décadas na luta e no fortalecimento do sindicato. No começo o próprio grupo pagava pelas as despensas, logo depois, foi solicitado um desconto da mensalidade na folha de pagamento do funcionário público, para que a associação pudesse crescer como entidade.
Para arrecadar dinheiro, a entidade fazia algumas atividades. Algumas delas, a Feira da Economia, vendia produtos com preço de custo ao trabalhador. O evento era realizado, quinzenalmente, no Estádio de futebol “Walter Ribeiro”, Centro de Integração Comunitário (CIC).

A primeira gestão da associação terminou contando com 1.200 sócios. Das inúmeras prioridades da entidade, havia a precedência de formar um convênio médico, que atendesse a todos. Foi, então, firmado o convênio com Serviços a Indústria de Assistência Médica S/C Ltda. (Siam).

De associação (ASPMS) a sindicato (SSPMS)

Com a abertura de criação de sindicatos, a partir das Constituição Federal de 1988, a ASPMS se transformou em Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba (SSPMS). A associação virou sindicato, em 20 de fevereiro de 1989.

Durante essa mudança, o sindicato conseguiu várias conquistas: faltas abonadas, Plano de Carreira, abertura de concursos públicos e a criação da Fundação de Seguridade Social dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba (Funserv).

Marcos Antonio Figueiredo Bistão foi o segundo presidente da ASPMS e o primeiro do sindicato. “Temos todos os instrumentos, como o estatuto, que as administrações colocam em prática e outras que precisam ser implantadas, pois o tempo vai mostrando as necessidades”, afirma Bistão.

Eleições

O sindicato apoiou totalmente a Funserv e a construção de outros espaços, como a Associação dos Funcionários Públicos Aposentados de Sorocaba (AFPESP) e Associação dos Funcionários do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae).

Atualmente são 11 mil servidores (Prefeitura Municipal, Saae, Câmara Municipal, FUNSERV e URBES), entre os ativos e os aposentados/pensionistas, além de um quadro social com mais 15 mil associados e dependentes. As pessoas que pagam os impostos precisam dos serviços da administração pública e são os recursos humanos de toda essa estrutura que mantém a cidade em funcionamento.

De acordo com o atual presidente, Sérgio Ponciano, são inúmeras as conquistas a serem comemoradas nestes 30 anos de existência do SSPMS, mas seguramente, muitas lutas ainda terão que ser travadas para que o Servidor Público possa se fortalecer como Categoria Profissional e receber o devido reconhecimento. “Não só por parte da sociedade, mas principalmente, pelos mandatários de plantão, que precisam mudar o conceito de gestão “eleitoral”, passando a implementar políticas públicas efetivas e eficazes, em todas as áreas, com vista a profissionalização e a qualificação dos serviços públicos disponibilizados e prestados á municipalidade”, conclui.

Processo e funcionalismo da entidade

Comunicação

Desde 1980 que o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba atende a sua categoria através de um boletim informativo impresso. Para o presidente do sindicato, Sérgio Ponciano, esse tipo de comunicação é necessário para qualquer categoria. O jornal impresso é mensal e tem tiragem de 12 mil exemplares. O nome do informativo muda a cada ano eleitoral. Atualmente o jornal se chama “Valorização e Respeito”. “O nome do informativo veio através do nome da minha chapa. Geralmente a gestão vencedora coloca o nome no jornal”, comenta o atual presidente do sindicato.

Além do informativo impresso, o sindicato se comunica com a categoria por meio de um site e de uma revista – esse magazine é feito a cada quatro anos, quando é reformulada a diretoria.

Ponciano fala das mídias do sindicato

O portal eletrônico surgiu em 2006 e teve como objetivo levar informação rápida e com qualidade aos servidores públicos. Enquanto o nascimento da revista, o presidente do sindicato não se lembra, mas afirma que esse impresso é feito para mostrar as metas e, principalmente, o que o novo presidente vai fazer nos próximos anos para o sindicato seguir avançando.

Ponciano diz que sente falta de uma estrutura de comunicação para a entidade. Ele pensa em colocar um jornalista no sindicato e acabar com a terceirização feita. “Tanto a revista e o jornal impresso são feitos fora do sindicato. Precisamos ter uma pessoa que tenha uma linguagem própria da categoria. Isso é muito importante”, afirma o presidente dos servidores públicos.

Necessidade de um profissional na área de comunicação sindical

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s